e hoje sentado na rua, olho a lua… e vejo o teu bailado.

cantavas o fado, sentada na calçada, no meio da rua
devias ter bebido uns copos, como eu, mas tinhamos a lua
e o teu poema falava das varinas e da lisboa das sete colinas juntos cantámos à desgarrada poesias de tudo e de nada
estrofes das noites de amor em alfama, noites de loucura de quem ama… e sem guitarra foste musica, e o tejo foi bailado e eu fadista e fado… sentados no cais das colinas eu, tu e a lua e a roupa que caia e tu nua e eu cantava em mi menor e loucos fizemos amor…
e o sem abrigo dormia sem perigo ao nosso lado, espectador do nosso fado… e o teu poema, falava de esperança e saudade, era a poesia da verdade, o teu poema era um corpo apaixonado,que foi amando, e feiticeira foste ao luar e o tejo corre sempre para o mar e o teu corpo não parava de bailar…e então no meu poema foste musa, que me deu tusa e fomos amor,sexo, sagrado e pecado, fomos tesão e redenção fomos anoitecer e luar, fomos alba e despertar fomos a explosão do cosmo que gerou o mundo, fomos orgasmo,fomos paixão, fomos o fado entesoado…e hoje sentado na rua, olho a lua… e vejo o teu bailado.

Giacomo Casanova do Bairro Alto

Image

About nunoserra6

A falta de Amor é a maior das pobrezas
This entry was posted in Uncategorized and tagged , , , , , . Bookmark the permalink.

Partilha a tua paixao, comenta

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s