Viajei para não ver a lágrima escorrer do rosto da minha filha

Viajei para fugir da minha vida, do chão, da mão, da ofensa, da violência. Viajei para fugir dum marido que devia ser amante e foi só um mal tratante. Viajei para fugir daquela aldeia demasiado pequena, demasiado fechada no conservadorismo das falsa aparências, dos tantos sorrisos que escondem violências.
Viajei para não ver a lágrima escorrer do rosto da minha filha, para não ser o seu desgosto. Viajei para fugir de mim, e essa foi a ideia mais ruim. Posso fugir da vida, mas eu, eu estou sempre comigo e fugir só me fez perceber, que a viagem não é solução, devo ficar e combater, fazer frente a todo o vilão, lutar mesmo com uma criança na mão, ir buscar forças a Deus quando te falha o coração, mas devo ficar e impedir que me levantes a mão. E aquela aldeia cúmplice da tua violência um dia vai seguir o meu exemplo e vai lutar, vai parar de viajar, de fugir à realidade, que um homem quando bate, não passa de uma nulidade.

Giacomo Casanova do Bairro Alto

10610598_301331126732675_115728136033714566_n

About nunoserra6

A falta de Amor é a maior das pobrezas
This entry was posted in Uncategorized and tagged , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

Partilha a tua paixao, comenta

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s