a tua ausência faz-me mal mas a tua presença é-me fatal.

Quando não estás enveneno-me com rum
chegas e enveneno-me contigo
estou condenado, perdido
és dor quando estás ausente
sofrimento quando estás presente
O Rum envenena-me o fígado
tu apodreces-me a alma
já não respiro, perco a calma
trato com indiferença quem me rodeia
só essa tua carne me incendeia
e quero arder e queimar
foder e amar
mas acabo num canto a chorar
e volto-me a envenenar
Com rum, contigo
quero deixar a dependência mas não consigo
és uma droga irresistível
e a metadona não tem sabor, é horrível.
Mas faço um esforço e não pego no rum
revivo os nossos momentos um por um
sentado com o calor da lareira
imagino-te ao meu lado neste chão de madeira
e bebo as lágrimas que me escorrem pelo rosto
sinto o sal e o seu desgosto
a tua ausência faz-me mal
mas a tua presença é-me fatal.

Giacomo Casanova do Bairro Alto

jiriruzek_net_2008_30

About nunoserra6

A falta de Amor é a maior das pobrezas
This entry was posted in Uncategorized and tagged , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

One Response to a tua ausência faz-me mal mas a tua presença é-me fatal.

  1. euaindapenso says:

    Perfeito!

Partilha a tua paixao, comenta

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s