A verdadeira história da Capuchinho Vermelho

Naquele dia o que ela mais queria era fazer-se mulher nas mãos daquele predador.
Nada do que sucedeu nesse dia, foi por acaso, aquela menina inocente premeditara tudo.
Com a casa da avó livre como cenário Capuchinho fez-se à estrada.
Colocou um leve vestido branco rendado na aldeia onde vivia, e nesse dia fez questão de poupar a mãe, coitada que trabalha tanto, e foi ela mesma quem preparou a cesta onde muito obedientemente levava o lanchinho à avó que vive no bosque todos os santos dias. Capuchinho rejubilava quando chegava a hora de se fazer à estrada e hoje não seria diferente.
A linda menina de lábios inocentes da cor do pecado seguiu sem olhar para trás em direcção à casa vazia da avó envolta na capa encarnada que sua mãe costurara para si.
Imaginem só aquela doce menina de pele clara, lábios pequenos e pureza espelhada no olhar a correr no bosque sozinha nervosa e ansiosa!
Pousou na mesa do chá o bolo e o pote de mel e do fundo da cesta tirou o que tanto escondeu da mãe.
TOC TOC!
Com o peito aos saltos, o corpo a tremer, e a ansiedade nas faces rosadas, Capuchinho Vermelho abre a porta em lingerie da cor da paixão, cabelos caídos nas costas, e atira-se para os braços do seu lobo.
Conhecera-o no dia em que trouxe pela primeira vez o lanchinho para a sua querida avó, e desde aí, fez questão de ser incumbida dessa função.
Capuchinho Vermelho foi arrebatada por aquele Casanova do bosque que a fez derreter com o seu sedutor olhar.
Os passeios pelo bosque, os pés descalços no rio de aguas límpidas e cristalinas, as flores exóticas que juntos apanhavam, deixaram de ser suficientes. Foi ela, aquele doce menina, que quis tornar-se dele! E foi naquele dia, que o predador dos bosques, comeu a virgem da capa de vermelho e a tornou sua mulher sob a dança do corpo esculpido pelas horas de trabalho como lenhador naquele bosque.
Quanto à avó, que terá ela ido fazer para não estar em casa no dia em que a sua neta planeou deixar de ser menina? (esta será outra história).

image

Francesca Bruni

Posted by sofiarodrigues

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Partilha a tua paixao, comenta

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s