É sempre o mesmo jogo.

É sempre o mesmo jogo. Ou acaba contigo a implorar para que fique enquanto me vês partir, ou acaba comigo ajoalhada aos teus pés.
Entro no bar finjo nao te notar, sento-me na mesa do centro para que me alcances, e desprezo-te. Sempre que os teus olhos me mordiscam, surge uma terrível comichão no meu tornozelo ou brincar com o meu cabelo passa a ser um entretém fascinante.
É sempre o mesmo jogo.
A melhor parte é quando me vou embora. Despeço-me com um beijo no canto dos teus lábios, um leve roçar de corpo até que me puxas para ti ardendo de vontade e súplicas para que espere que todos se vão. Na maior parte das vezes não fico apesar do meu corpo ficar inconsolável, mas este meu lado sádico, gosta de morrer e de te ver arder de vontade. Ler tesão no teu rosto é um autêntico eclair de prazer. É quando te sinto doente de desejo que fico. Fico para que me castigues por te fazer implorar por mim, por me aproveitar do teu ponto fraco. Eu.

Francesca Bruni

image

Posted by sofiarodrigues

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Partilha a tua paixao, comenta

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s