Detesto o domínio que tens em mim.

image

Estes longos dias com que te privei do meu cheiro, acordou o teu demónio. Lançavas fogo dos olhos, e os teus lábios estavam sedentos. Contra a parede, estendi os meus braços para te impedir de investires em mim. Tentativa em vão. O teu corpo vence a minha força feminina e seguras as minhas mãos por cima da cabeça. Rasgas o meu vestido de uma só vez e com os dentes arrancas as cuecas. O frio que senti quando saí de casa foi substituído pelo calor infernal de um dia de verão.
Afastas-te. E encostas-te à parede paralela.
Sinto-me frágil, totalmente desprotegida. A ideia de alguém ver o que se está a passar neste beco, deixa-me nervosa.
Hoje a tua loucura tomou conta da tua mente. Não queres saber. Queres matar saudades do calor que te envolve assim que entras em mim.
Observas-me. Quase que consigo ver os teus olhos a reluzir de malícia. Sorris. O teu sorriso invade-me e faz-me corar. Aproximaste de mim, já com o corpo despido perto o suficiente para me embriagares com a tua respiração. Ferves. Percorres o meu corpo com a tua fome, mordendo e beijando todos os centímetros da roupa que me veste.
Com o teu braço contra a parede, olhas-me nos olhos. Demoras-te. Invades a minha alma, e percorres os meus desejos mais obscuros. Desejos fechados a sete chaves que escondo do mundo. «Eu sabia que atrás desse rosto de menina está um paraíso que nem tu nem ninguém nunca explorou. »
Irritas-me. Detesto o domínio que tens em mim. Tento-te afastar, e debato-me sobre a tua força, até cair exausta no teu ombro.
Seguras o meu rosto e afogas-te na minha boca.
O teu beijo vence a minha revolta pela forma que me lês, e sossego na tua boca.
O teu beijo, é intenso e demorado, as nossas línguas travam um combate incessável. O meu ventre procura-te. Quero-te dentro de mim. Puxo-te a favor do meu corpo, e desaperto-te as calças. Atordoas-me com a rigidez do teu desejo.
Contra a parede, abriste as cicatrizes que me provocaste da ultima vez e num só movimento, perfuras-me. Procuras os meus olhos húmidos de desejo e com uma das mãos a apertar o meu pescoço exploras as profundezas do meu ventre.
Juntos alcançámos a paz. Desencaixámos num beijo, terno e apaixonado que traz vida ao meu coração.
Enrolas-me numa manta que desconhecia trazeres contigo, e proteges-me do frio que agora já se faz sentir.
Deixámos aquele canto escuro com as roupas rasgadas no chão e ao colo levaste-me para a tua cama…

Francesca Bruni #casanovadobairroalto

Posted by sofiarodrigues

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Partilha a tua paixao, comenta

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s