Estive para dar cabo de mim, mas sobrevivi.

Talvez… talvez agora percebas a minha sede, agora que o rum e o gin fazem parte de mim. Precisava de embriagar-me de amor para esquecer a tua ausência, precisava de atenuar esta dor. Vomitei saudade em quase todas as esquinas desta cidade, rodeado de gente bebeda, drogada, chorava sempre de saudades na madrugada e fodia a primeira loira desesperada, amantes perdidos, gritos, gemidos, e depois vazio, nada… deixava-a ali nua, sozinha, no meio da rua, uma santa feita puta, uma amante fodida á bruta, uma miuda em busca de amor e eu só soube dar dor, dei o que sentia, dei a minha alma, pena já estar vazia, pensava em ti, no que vivi e desprezava este corpo que fodi… que idiota que fui e fui tantas vezes, vezes demais. Um anormal perdido na bebida e que não merecia sequer aqueles seres especiais. Mas foi assim, a sede de amor tomava conta de mim, mas em vez de ti, bebia gim… estive para dar cabo de mim, mas sobrevivi, estou aqui, de pé, forte, abraço o destino como que abraça a morte, mas tenho sorte…
Agora preciso que entendas esta fome, fome de amar de novo, tomar pilulas de amor como forma de socorro, alimentar-me de abraços, porque sem eles morro. Estou frágil? talvez… mas levanto-me sempre, uma e outra vez. e rejeito relações mornas, daquelas que não matam a fome, nem deviam ter esse nome. Deviam ser chamadas simples companhia, gente que nos alegra sem ter magia, mas se magicamente desaparecer nem nos vamos aperceber… sim tenho fome, quero alimentar-me de orgasmos, de loucura e como sobremesa quero ternura, quero comer picante, quero canela, especiaria, quero foder até ser dia, quero alimentar-me de ti.
Mas talvez seja tempo que eu entenda a importância da dieta, do jejum, se não tocar em ninguém não lhes faço mal nenhum. Mas não é facil, é mais forte do que eu, em mim vive um diabo que nunca faleceu e á primeira oportunidade volta ás ruas da cidade em busca de virgens, de presas para caçar, beijar e castigar. Prender e libertar, a maior parte odiar e se Deus quiser algumas amar.

Giacomo

Foto da brilhante Diza Campino ( grazie tesoro), sigam a página facebook com os seus trabalhos

https://www.facebook.com/dizacampinofotografia

11541107_10204665795181108_1001036615_n

About nunoserra6

A falta de Amor é a maior das pobrezas
This entry was posted in Uncategorized and tagged , , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.

One Response to Estive para dar cabo de mim, mas sobrevivi.

  1. Diza Campino says:

    ohhhh mon cherie, cest perfait.
    Merci beaucoup sir Giacomo

Partilha a tua paixao, comenta

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s